• TELE VENDAS 51 2104-1066
  • ATENDIMENTO: 7:30 - 12:00 | 13:00 - 17:18

Siderúrgicas da China e da Índia devem se beneficiar da guerra entre Rússia e Ucrânia

A invasão elevou os preços e criou uma oportunidade para produtores indianos e chineses exportarem para a Europa

A ArcelorMittal disse que fechou sua usina Kryvyi Rih, no sul da Ucrânia, que respondeu por cerca de 6,6% da produção total da empresa em 2020. No início da semana, a maior siderúrgica da Ucrânia, Metinvest, declarou força maior, citando dificuldades logísticas e de pagamento, enquanto a russa Severstal disse que estava redirecionando as exportações para fora da União Europeia.

A Rússia foi o quinto maior produtor de aço bruto em 2021, enquanto a Ucrânia foi o 14º maior. Ambos estão entre os cinco maiores exportadores líquidos globais de aço, segundo a consultoria de commodities Argus. Os preços à vista do aço laminado a quente do norte da Europa subiram 21% para 1.175 euros por tonelada na última semana, de acordo com a FactSet. O aumento dos preços deve beneficiar os exportadores chineses e indianos, tornando os embarques mais lucrativos diante das tarifas da União Europeia (UE). A indiana Jindal Steel & Power subiu 21% nos últimos três meses e a Tata Steel subiu 14%, contra uma queda de 4,3% no índice BSE Sensex. As produtoras de aço da China enfrentam produção limitada e uma desaceleração no setor de construção, mas os preços do aço laminado a quente na bolsa de Xangai na sexta-feira estavam em seu nível mais alto desde outubro do ano passado. As produtoras chinesas Beijing Shougang, Angang Steel e Inner Mongolian Baotou Steel Union subiram mais de 10% no mês passado.

Fonte: ACOBRASIL