• TELE VENDAS 51 2104-1066
  • ATENDIMENTO: 7:30 - 12:00 | 13:00 - 17:18

Produção de aço sobe 20% até maio; venda interna cresceu 46%

Com aumento do consumo no país, siderúrgicas estão revisando para o dobro as as projeções de crescimento do ano feitas em novembro

 

Lopes, da Aço Brasil: setor está operando com 73% de uso da capacidade e com volumes maiores que antes da pandemia — Foto: Ana Paula Paiva/Valor

 

As siderúrgicas do país vêm operando com produção recorde desde o início do ano, buscando atender a demanda dos consumidores locais de aço. Tanto que já trabalham a revisão das projeções de volume para o ano que foram feitas em novembro de 2020. “Na produção de aço bruto e nas vendas internas, as estimativas são de ao menos dobrar os percentuais de 6,7% e 5,7% de crescimento, respectivamente, que foram anunciados em novembro”, disse ao Valor o presidente do Instituto Aço Brasil, Marco Polo de Mello Lopes.

 

Segundo Lopes, essa revisão se dá em função das novas estimativas do PIB brasileiro, que deverá ficar acima de 5%, puxando o aquecimento da economia do país. E também em razão da alta de consumo por parte dos setores consumidores de aço - construção civil, automotivo, bens de capital, linha branca e outros.

 

A indústria, disse Lopes, vem operando com 73% de utilização da capacidade, produzindo acima dos volumes de antes da pandemia. Todos os altos-fornos foram retomados (Usiminas anunciou mais um esta semana) e unidades que estavam paradas de Gerdau e Arcelor Mittal (Paraná e Rio de Janeiro) serão religadas no segundo semestre, conforme comunicado das duas empresas.

 

Em maio, segundo dados do Aço Brasil divulgados ontem, a produção de aço bruto cresceu 40,1% ante um ano atrás. Foi o melhor resultado para um mês desde outubro de 2018, destacou. Foram produzidas 3,16 milhões de toneladas. No acumulado do ano, atingiu 14,94 milhões de toneladas, aumento de 20,3%.

 

O consumo aparente de produtos siderúrgicos - soma de vendas internas mais importados - foi de 2,5 milhões de toneladas, com alta de 83% no mês. De janeiro a maio, o crescimento foi de 50,7% na mesma base de comparação, somando 11,5 milhões de toneladas.

 

Outro indicador, as vendas das siderúrgicas locais, avançaram 73,9% ante maio do ano passado, somando 2,1 milhões de toneladas. No ano, somam 10 milhões de toneladas (mais 46,4%). Há que se considerar que em maio de 2020 o país estava mergulhado na crise da pandemia de covid-19, com grande parte da economia do país paralisada. O mês crítico foi abril.

 

“As siderúrgicas começaram a reativar unidades, paralisadas no auge da crise, em maio e desde junho vêm aumentando a produção mês a mês. Os dados mostram que as siderúrgicas estão produzindo e pondo no mercado interno mais aço do que a demanda de antes da pandemia”, disse Lopes.


Segundo o Aço Brasil, as importações cresceram expressivamente em volume no mês passado. Foram importadas 550 mil toneladas - alta de 267,7% sobre maio de 2020. Houve maior crescimento na importação de aço longo, com 140 mil toneladas em maio e 462 mil em cinco meses. “O mercado vem sendo abastecido, com aço local e importado”, disse. De aço plano, longo e outros entraram 2 milhões de toneladas no ano - mais 128%.

 

Fonte: Aço Brasil